terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Resenha: A garota que eu quero

Imagem relacionada
Imagem do http://ninaeuma.blogspot.com.br/


A garota que eu quero
Autor: Markus Zusak
Páginas: 174
Ano: 2013
Editora: Intrínseca

Sinopse:
O Rube nunca amou nenhuma delas. Nunca se importou com elas. Nem é preciso dizer que Rube e eu não somos muito parecidos em matéria de mulher. Cameron Wolfe é o caçula de três irmãos, e o mais quieto da família. Não é nada parecido com Steve, o irmão mais velho e astro do futebol, nem com Rube, o do meio, cheio de charme e coragem e que a cada semana está com uma garota nova. Cameron daria tudo para se aproximar de uma garota daquelas, para amá-la e tratá-la bem, e gosta especialmente da mais recente namorada de Rube, Octavia, com suas ideias brilhantes e olhos verde-mar. Cameron e Rube sempre foram leais um com o outro, mas isso é colocado à prova quando Cam se apaixona por Octavia. Mas por que alguém como ela se interessaria por um perdedor como ele? Octavia, porém, sabe que Cameron é mais interessante do que pensa. Talvez ele tenha algo a dizer, e talvez suas palavras mudem tudo: as vitórias, os amores, as derrotas, a família Wolfe e até ele mesmo.

Opinião:
Gente, eu comecei a ler o livro e durante a leitura eu descobri que ele era o terceiro título de uma trilogia do Markus. Ninguém fica sabendo de primeira porque os outros dois primeiros livros foram publicados por outra editora e a Intrínseca meio que publicou "A garota que eu quero" como se fosse um volume único, até a capa tem um estilo totalmente diferente das outras. Mas olha, eu não senti falta não, porque quando você faz a leitura parece mesmo que a história começa e acaba ali.
Enfim, o Markus é mais conhecido por "A menina que roubava livros" e "Eu sou o mensageiro", mas quem é fã dele não pode deixar de fazer essa leitura.
Cameron é um personagem um tanto dramático e romântico demais, mas ao mesmo tempo é o "fracasso" da família. Sente como se todos seus irmãos tivessem uma característica que os destacava e ele fosse simplesmente um ninguém.
Rube é seu irmão do meio e melhor amigo, Cameron não gosta do jeito como ele trata as garotas e acaba se apaixonando por uma ex namorada de Rube, Octavia, a 'pessoa que faz com que ele finalmente se sinta especial e capaz.
O livro é bem bonitinho e tem umas lições escondidas na história, mas não se trata de algo que te prenda do começo ao fim. É bom para passar o tempo.


Ela se agitou dentro de mim.
Salvou-me, e, quase em um sussurro, eu disse ao Steve:
— Não se preocupe, meu irmão. Não preciso que você diga à Sal que não sou um
fracasso. — Ainda estávamos separados pela porta de tela. — Também não preciso que
você diga isso a mim. Eu sei o que sou. Sei o que vejo. Talvez, um dia, eu lhe fale um
pouco mais de mim, mas, por enquanto, acho que teremos que esperar para ver o que
acontece. Não estou nem perto do que serei, e... — Senti uma coisa em mim. Uma coisa
que sempre havia sentido. Fiz uma pausa e captei o olhar de Steve. Saltei para dentro
dele através da porta e o prendi. — Você já ouviu um cachorro chorar, Steve? Sabe
como é, uivar tão alto que quase chega a ser insuportável? — Ele fez que sim. — Acho
que uivam assim porque estão com tanta fome que chega a doer, e é isso que sinto em
mim, todos os dias da minha vida. Tenho uma fome enorme de ser alguma coisa, de ser
alguém. Está me ouvindo? — Ele estava. — Não vou me rebaixar nunca. Não diante de
você. Nem de ninguém. — Encerrei o assunto. — Eu tenho fome, Steve.
Às vezes acho que essas foram as melhores palavras que eu já disse.
“Eu tenho fome.”
E, depois disso, fechei a porta.
Não a bati.
Não se atira em um cachorro que já está morto.


NOTA: ✪✪✪

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Incentive o blog! Comente o post com sua opinião ou sugestão, todos os comentários são bem-vindos, exceto os ofensivos. Deixe seu link caso você também tenha um espaço. Muito obrigada!